Como surgiu Café com Leite Crente?

Café com Leite Crente surgiu dos sonhos de Adriana Chalela (A Razão da Esperança), Regina Farias (Bora Ler) e João Carlos (Pastor João e a Igreja Invisível). Três amigos virtuais e irmãos em Cristo, separados por milhares de quilômetros mas que compartilham da mesma visão do Reino de Deus, Reino este que começa aqui na Terra e continuará por toda a Eternidade. Devido às nossas afinidades, decidimos unir nossos esforços para mostrar que é possível sermos 100% cristãos, mas com os pés 100% no chão, vivendo uma espiritualidade madura e responsável sem perder o amor pela vida que fomos graciosamente presenteados por nosso amoroso Pai.

Só que a família cresceu! Pelo Caminho conhecemos mais três irmãos maravilhosos, com a mesma visão do Reino: René Burkhardt (Nem de Paulo nem de Apolo: de Cristo!), Cláudio Nunes Horácio (Susto de Amor) e o "atrasildo" do Wendel Bernardes (Cinema Com Graça), que agora fazem parte desta gangue...


segunda-feira, 7 de março de 2011

Norberto, o primo do Aroldo!




Foi numa família linda que Norberto nasceu. Era o terceiro de quatro filhos. A casa que vivia era boa, mas sem luxos. E a vida também era assim.
Papai e mamãe viveram uma linda história de amor. Foram separados pelas circunstâncias ao se conhecerem, mas havia tanto amor naquele primeiro olhar que ambos decidiram namorar mesmo a distância: por cartas.
Fora assim por anos a fio até novamente se reencontrarem. A vida e a história deles daria um belo filme, viu? Desses que o mocinho luta toda a trajetória para ficar com a mocinha no final.

Amaram cada filho de forma única.
O primeiro, Gualberto, lhes nasceu forte, bonitão e robusto; parecia o pai diziam todos!
A segunda, Alberta, era doce e linda como um raio de sol na primavera, era cópia da mãe, dizia vaidosamente a própria.
O terceiro, nosso herói Norberto, antes de nascer, passou por todo o tipo de dificuldades.
Mamãe teve gestação difícil, parto complicado e abreviado pra salvar tanto o bebê quanto a mãe. E o pequeno Norberto só sobreviveu por um milagre. Não era assim tão belo, mas fora igualmente amado, aliás, se cuidado era amor, fora ainda mais amado por todos!
O último, Humberto, era como todo caçula, o queridinho da mamãe, o garotinho do papai e o xodozinho dos irmãos.

Foram criados na fé Tradicional e Ortodoxa dos Crentes. Graças a Deus não eram barulhentos como os Pentecostais, nem ‘misturadinhos’ como os Renovados, dizia papai.

Na igreja todos eram amados. Pelo exemplo de amor e família, pelos filhos bem educados e belos. Tá bom que tinha o Norberto que não era lá essas coisas, mas beleza não se põe mesa não é?

Nos grupos sociais todos iam bem, só Norberto sentia-se infeliz.
Gualberto era artilheiro do time de futebol da escola, mas bem que poderia ser zagueiro com aquele corpanzil. Era papo certo entre 125% das turminhas femininas no recreio.
Alberta, ou Betinha como preferia, era ainda linda, mas também estudiosa, quase um prodígio. Como primeira da classe, havia ganhado bolsa de estudos para ela mesma e para seus outros irmãos, menos para Humberto que ainda estava nas fraldas.
Ah, é... Norberto ainda assim estava infeliz!

Não conseguia fazer amigos, não tinha atrativos físicos nem se sentia inteligente. Assim começou a duvidar da fé. ‘Que Deus é esse que fez meus irmãos tão belos, meus pais tão amáveis e a mim deu restos e sobras? Ninguém me quer’, pensava em sua angústia de vida.

Na E.B.D., sempre questionava a professora.
Jesus? Ah, ‘pfessora’ creio sim, acredito que Ele existiu, mas num era o Filho de Deus como vocês crentes ortodoxos pregam, não... isso, acho eu, foi invenção dalgum maluco!”
Por conta disso, era sempre convidado a ficar no corredor, pensando na infâmia que dissera.

Norbertinho não tinha o que queria e nunca quis entender bem isso, então bolou um plano de vida baseado na sua cabecinha infantil. ‘Vou comprar amigos!’ decidiu assim do nada!
Pensou que se pudesse destacar algo de bom nos outros, elogiando, bajulando, poderia fazer parte de qualquer grupo.

Ridiculamente, tentou primeiro com as meninas.
- ‘Oi, posso brincar com vocês?’ Disse confiante.
- ‘Claro que não, isso é brincadeira de menina, ta cego?’ Disse a mais meiga e educada.
- ‘Pôxa, que pena; vocês pareciam meninas tão inteligentes, tão bonitas que mesmo sendo menino pensei em vir aqui ficar com vocês!’
 As meninas se entreolharam... Acertara direto no alvo! Logo lhe entregaram uma boneca de pano, um lugar na rodinha da esquina e um apelidinho que prefiro ocultar.

Foi assim que viveu a vida inteira; agora andava com atletas, patricinhas, pagodeiros, riquinhos, roqueiros, pobrinhos, ‘geeks’ (os antigos c.d.f’s) e demais filões sociais. Era só ver um grupinho se reunindo que queria usar sua técnica para fazer parte da galera.

Na igreja também era assim, claro! Andava com todos, elogiava-os de inicio e já não ficava mais segregado no lado de fora das salinhas de estudos bíblicos, mas lá no fundo ainda não cria que Jesus era o Filho de Deus, pelo menos, não mais filho que ele mesmo deveria ser.

Cresceu, fez muitos cursos, frequentou várias universidades e trabalhou em tantas áreas de atuação diferentes quanto pôde. Tudo meio que simultaneamente. Fez também teologia, não que fosse por paixão ou vocação, mas não poderia esquecer-se de nenhum grupo a que pertencia. E se ficasse sem assunto no meio dos crentes? Fez tudo!

Mas é claro que queria dar um ‘ar só dele’ em tudo que participava, coisa característica dos desajustados sociais.
Com seus amigos não religiosos aprendeu a beber, a fumar e dar ‘uns tapinhas’ no ‘cigarrinho do demônio’, talvez daí tenha vindo tanta inspiração para as colocações que defendia nas rodas de amigos.

Fazia questão de dizer que “amigo não era quem concordava com ele em tudo”, mas Norberto deveria ter muitos amigos verdadeiros sim, viu? Afinal para aguentar tamanha chatice e discordância em qualquer assunto, só mesmo com amigos do peito!

A família continuava feliz. Com amor, beleza e inteligência e Norberto fazia questão de dar ‘pitacos’ em tudo. Nas roupas de patricinha de Betinha, na bola certa pra Gualberto usar, e até na alfabetização de Humberto, hoje homem feito.

Frequentava a igreja e também um bom boteco, fazia de sua liberdade, fruto da Graça, cavalo de batalha. Adorava dizer que era livre para todos, mas nunca conseguiu enxergar as cadeias da falta de amor que o prendiam. Gostava também de dizer que era membro dizimista da fé Tradicional e Ortodoxa dos Crentes, só pra dar uma base de referêcia pra quem quisesse, mas não que fosse assim tããããão ortodoxo, ok?

Tem levado a vida ainda hoje assim, quer fazer amigos em qualquer lugar, mas amá-los é outra conversa! Continua com sua luta contra Deus, acusando-o de injusto, negando a Jesus e a Graça até o osso.

Num dia teve um sonho. Nele Deus lhe aparecia e lhe dizia que tudo tinha um propósito especifico. Disse Deus; ‘Como você pode se sentir assim se de todos os seus familiares você foi o único a ser livre da morte desde o ventre?’
Sorrindo-lhe, Deus lhe apresentara Jesus...

Norberto acordou em polvorosa.
Que sonho maluco era aquele? Não acreditara em nada do que ouvira, embora fosse bem formado teologicamente, lhe faltava a base de tudo: fé, sem a qual ninguém enxerga a Deus.

Imaginou que o sonho era fruto da bebedeira com os amigos na noite anterior e seguiu seu caminhar, convivendo com a dor de ser quem decidiu ser desde pequenino.
Igual ao primo Aroldinho não tinha nada, apenas como ele criou um blog que tá na moda fazer assim. Vive por meio desse, ainda fazendo seus ‘amigos’ em grupos sociais dos mais diversos. Elogiando-os, bajulando-os de todas as formas e dando seus pitacos mesmo em coisas que não sabe, nem sequer quer aprender...
Que pena, Norberto.

Wendel Bernardes





20 comentários:

  1. Meeeeuuuuu irmãaaaaaoooo, que dissecada é essa?!

    Geralmente não me surpreendo com muita coisa mas confesso que tô PASMA com tamanha sacada!!!

    "Afinal para aguentar tamanha chatice e discordância em qualquer assunto, só mesmo com amigos do peito".

    Como diria minha linda neta Marina(hoje com seis) quando tinha quatro anos de idade:

    - PUTZGLIRA!!!

    Só posso fazer coro com os que lamentam em uma frase curta e contundente mas cheia de compaixão:

    - Que pena, Norberto. :(

    ResponderExcluir
  2. Pois é Rê,
    é que tô querendo agregar cargos eclesiásticos (e salários) em nosso ministério (ou moneystério, como prefira), entende?

    Então estou orando por uma unção espicífica que Deus deu somente ao irmão Superman (Clark Kent nas horas vagas), a visão de raios-x espiritual.

    Então agora além de ILE, sou também alguma coisa como PRX, (Profeta dos Raios-X... serve?)
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    A frase de sua netinha (tu tem idade pra ter neta? Fala sério! Ela deve ser sua prima, vai!) está compeltamente certa, prefiro fazer coro com ela, viu?
    PUTZGLIRA!


    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  3. Nossa, estou tonta com tanta sigla! Vcs também, heim? Exigem demais dos meus pobres neurônios.

    A sacerdotiza veio com um tal de MMA lá na postagem "Rock me Baby" e agora vc com esse PRX. Não te basta o ILE? aff

    Qto à idade, não só tenho idade como cara (xiii abafa!)já o coração é de guria rss

    E num me fale em prima pelamorrrrrdeDeus ahuahuahauauaa pois ainda tô digerindo o texto do primo do cara lá.

    E vc sabe sim da Marina, pois até comentou no texto abaixo:

    http://reginafarias.blogspot.com/2010/12/homenageado-do-dia.html

    Esqueceu, foi?
    Vai ver que vc anda agarrado com seu Alzheimer...

    iê iê :P

    ResponderExcluir
  4. Lá vou eu com sacerdotisa com z denovoagaintravez.

    Quando eu digo que é o teclado que é analfa vcs num acreditam, afff povo cético.

    ResponderExcluir
  5. Ah,
    pensei que iria curtir mais uma sigla... que pena, mas o salário pode ser agragado?

    Sobre a Marina, lembro sim do comentário, só disse que na verdade ela não é sua neta, mas sua priminha... rsrsrsrsrssr

    Sobre teclado analfa, acho que comprei um igual aqui na Uru(guaiana - similar a 25 de março, só que no Rio)

    ResponderExcluir
  6. vixi teu comment saiu duas vezes :)

    ah tá, saquei agora que era um elogio rsss mas bora combinar que de neta pra prima nem com todo botox do mundo :)

    Qto à imagem acima antes do texto, não consegui abrir. Só serviu para me deixar mais curiosa, pois não faço ideia do que seja.

    E eu acho que compramos nossos teclados foi no Paraguai...

    ResponderExcluir
  7. Que imagem antes do texto? Num postei imagem nenhuma nesse post pois achei que era dispensável, ou porque não acharia a imagem certa pra que queria...
    Repetindo: que imagem?
    rsrsrsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Acima do texto tem um quadro com aquela conhecida seta que quando a gente clica em cima aparece o conteúdo de um video, tá ligado?

    ResponderExcluir
  9. Não, só vejo espaço vazio...sério!

    ResponderExcluir
  10. Gente.... o que é isso???

    Muleque, você é um dos poucos que eu conheço que poderiam viver só de escrever, assim como a futura membra da Acacemia Brasileira de Blogs, digo, Letras: A dona Bispa!

    Cara, melhor não comentar nada pq. senão vou falar demais. Você simplesmente tem muito, mas MUITO adubo aí dentro desta cachola (também meio careca, pela foto).

    Quando a uma imagem para ilustrar este texto eu até sei onde você poderia encontrar uma facinho mas, como diz a bispa: ABAFA!



    De resto, este troca-troca de comentários ao final parece os primeiros versículos de Genesis, aquela parada de "A terra era sem forma e vazia, e o Espirito de Deus pairava sobre a face das águas"...

    Eita ILE laiá!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. Poxa João,
    recebo isso com muita alegria, mas prefiro fixar seus comentários na cruz...
    rsrsrsrsrsrs
    Sabe como é a tal vaidade, né?

    Infelizmente, ainda não pintou nada que pudesse encher meu carrinho de compras no final do mês, mas enquanto isso, tenho sido cheio do amor e do carinho que recebo de gente honesta (e careca) como você...

    Valeu pelas palavras Little Jonh
    Abração, velho!

    (ah, só pra constar, esse 'velho', não se refere aos 42 aninhos não, ok? É só vício de linguagem, que quer dizer 'velho amigo'... rsrsrsr)

    ResponderExcluir
  12. ILE/PRX/cronista Wendel,

    Não dá nem pra imaginar quem seja a pessoa que inspirou o personagem principal de sua história, porque você, na verdade, pintou um quadro digno de Van Gogh. Acho até que vou passar a chamar você de Vicentinho, pra economizar esse monte de título que você está agregando (além dos altos salários)!!

    Quero dizer algo sobre esta frase que você colocou no texto: "lhe faltava a base de tudo: fé, sem a qual ninguém enxerga a Deus". É bom que todos nós entendamos que a fé não é algo transcendental em seus princípios, como algo que a gente só tem se tomar 2 litros de chá de cogumelo. Muito pelo contrário, a fé é resultado da nossa razão (nosso raciocínio), diante de propostas que ponderamos e, ao final, passamos a concordar com elas. Claro que o efeito da fé será algo transcendente em nossas vidas, algo que nos faz andar em um arame sobre um imenso precipício, como nossa razão pura e simples não concordaria nunca. No entanto, para que cheguemos a este ponto, é preciso o primeiro passo, fundamentado na razão: crer que determinada premissa seja verdadeira! A partir daí, exercitamos a fé, nos lançando sobre o caminho indicado por essa premissa. Só então então vem o transcendental, que razão nenhuma pode conhecer, ou reconhecer como sã! Eis o porquê de não se poder ver a Deus sem ela!!!

    Digo isto, porque me pareceu que Norberto, o primo de Aroldo, gosta de arrazoar sobre as coisas. Quem sabe, ele pula das páginas de seu livro, dá uma lida nisto aqui, e resolve reconsiderar seus princípios?

    Well, espero que a família não seja muito grande, senão, vou começar a cobrar pelas dicas!!!

    ResponderExcluir
  13. A família é gigante... você verá!
    E não pago absolutamente NADA por isso, até porque meus salários na IBL tiveram um corte significativo por conta dos acertos sugeridos pela Dilma Rousseff, visando baixar a inflacionabilidade!
    Então...

    Sobre o Norberto, como já havia doto antes, se saltar das páginas do livro e se insubordinar, farei igula seu xará Terra Nova, simplesmente corto pela raiz... no caso dele, é só fechar a página!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Mas fica relax,
    as próximas crônicas serão diferentes, falarão sobre a vida, a alegria de conhecer Jesus e o abandono da religião... assuntos mais leves... uhauhauhauhauhauhau

    Abraços desprovidos de fructose!

    ResponderExcluir
  14. Gostei dos abraços dietéticos!!!! rsssssss

    Vou esperar ansioso pelas próximas crônicas, já prevendo uma possibilidade de mudança no Caminho de Aroldinho e Norberto, afinal, nosso Deus é Deus dos impossíveis!! Sou um testemunho disto!

    O&A insulinados!!!

    ResponderExcluir
  15. Cara,
    eles só irão reaparecer se na vida real, escreverem novos capítulos reais!
    O próximos serão personagens de minha cabeçona, ou do coração...
    Rsssssssss

    Tenho medo deles ganharem vida própria!

    ResponderExcluir
  16. Putz! Fico arrepiado, só de pensar em tais personagens com vida própria!!!

    ResponderExcluir
  17. Por isso que nas crônicas devemos fechar as páginas às vezes, entende?
    Essa parada o C.S.Lewis sabe beeeeem melhor que nós, viu?

    Fecha o livro, cara!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  18. Loco loco!!

    Isto é melhor que auto ajuda, e muito melhor que ir na igreja pular na frente do pupito oráculo.

    Manda mais, digo eu e não o Senhor (há controversias....)

    beijocas

    ResponderExcluir
  19. Valeu Dri...
    agora, pular na frente do púlpito é meio arriscado, pode-se ser atropelado pelas falácias dos loucomolíderes...
    rsrrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir